Enviar Mensagem




Forum > Direito Previdenciário > APOSENTADORIA ESPECIAL-TECNICO ELETRONICO
UsuárioDiscussão
JOAO BATISTA
Postado em quarta-feira, 24 de março, 2010
Olá Senhores:
Gostaria que os Srs. vissem a respeito desse caso que é um tanto confuso:
Trabalho em uma empresa de ensino e pesquisas nas áreas Física, química e Biológica ha 25 anos. Como tecnico em eletrônica dou manutenção em uma gama muito alta de equipamentos de pesquisas científicas. Por esse motivo recebo adicional de periculosidade por trabalhar com eletricidade acima de 250 volts ( quase todas as fonte de aparelhos tem tensões maiores do que essa). No entanto o direito a aposentadoria por periculosidade relativa a eletricidade terminou em 97, so permanecendo o direito ao adicional. assim continuo recebendo.
Os aparelhos que dou manutenção, hora estão contaminados biologicamente, como estufas de cultura de bactérias, por ex, hora estão contaminados com produtos químicos como graxas e oleos, alem de outro que sao utilizados nos laboratórios de pesquisas, até as vezes com isótopos radioativos como fosforo 32 ( raros, mas podem vir ) , hora tem agentes físicos como temperatura e radiação ultravioleta, como os espectrofotômetros, leitoras de elisas e uma gama bem alta de equipamentos.Alem disso, usamos para soldagem uma liga de estanho com chumbo que varia de 37 a 60 por cento dependendo do tipo de liga que você compra. Nessa Liga também existe breu. O chumbo e o breu consta da lista de materiais que dá direito a insalubridade. Assim , quando não estou mexendo com um elemento insalubre , estou mexendo com outro. Assim me exponho quase que totalmente durante o meu trabalho a agentes nocivos à saude.
Quando optei por receber periculosidade era porque financeiramente era maior o adicional e assim nem tomei conhecimento desses fatos da insalubridade.
Quando constatei o SESMT da minha empresa a respeito disso e verifiquei se tinha direito a aposentadoria especial por esses motivos, eles me disseram que o INSS so aceitaria esses fatos se fossem isolados e se eu ficasse submetido a um deles por no míinimo 6 horas por dia sem interrupção.
Vejam senhores, se eu ficar cheirando fumaça de liga de chumbo com breu e estanho durante 6 horas por dia há 25 anos, provavelmente eu nao estaria aqui escrevendo. Alem disse me disseram para fazer exames para ver se tem a presenca de chumpo no sangue. Ora, se eu tiver presença de chumbo no samgue eu me afasto do servico para tratamentos.
Entao, minha dúvida e esclarecimente da parte de voces seria.:
EU PODERIA JUNTAR ESSES INFORMAÇOES NO MEU PPP E ENTRAR COM O PEDIDO DE APOSENTADORIA ESPECIAL POR ESSE FATORES?

Agradecimentos antecipados.

Joao Batista Dejano


ÚsuarioResposta
Walter Gandi Delogo
postado em quinta-feira, 08 de abril, 2010
Prezado João Dejano:
Você não só pode, como deve informar suas condições de trabalho no PPP, para serem avaliadas pelo INSS. Deve ficar claro que a legislação da aposentadoria especial exige que o segurado comprove o tempo de trabalho permanente, não ocasional nem intermitente, em condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física durante o período mínimo fixado.
Requeira o seu benefício e aguarde em serviço a decisão do INSS, a qual, se desfavorável, poderá ser objeto de recurso administrativo ou ação na esfera judicial.
Atenciosamente,

Dr. Walter.
Walter Gandi Delogo
postado em quinta-feira, 08 de abril, 2010
Prezado João Dejano:
Você não só pode, como deve informar suas condições de trabalho no PPP, para serem avaliadas pelo INSS. Deve ficar claro que a legislação da aposentadoria especial exige que o segurado comprove o tempo de trabalho permanente, não ocasional nem intermitente, em condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física durante o período mínimo fixado.
Requeira o seu benefício e aguarde em serviço a decisão do INSS, a qual, se desfavorável, poderá ser objeto de recurso administrativo ou ação na esfera judicial.
Atenciosamente,

Dr. Walter.
Lucas Castro
postado em segunda-feira, 31 de janeiro, 2011
João Batista,

Sou Técnico em Eletrônica, trabalho em um hospital montando e reparando placas de circuito integrado. Todo dia tenho contato com a liga de chumbo (estanho + chumbo), só que não recebo insalubridade.

Você acha que nós, técnicos em eletrônica, temos direito à receber insalubridade? Estou pensando em ir à Delegacia Regional do Trabalho fazer uma denúncia. O que você acha?

Lucas
e-mail: lucas.neto@globo.com
Anônimo
postado em terça-feira, 28 de fevereiro, 2012
bom dia trabalhei como tecnico eletronico durante uns 20 anos, hoje não estou atuando como tecnico eletronico.
durante esses anos nunca recebi salario de insalubri, agora que estou proximo a minha aposentadoria gostaria de saber se tenho direito e a quem recorrer.

obrigado,

valtenes