Enviar Mensagem




Forum > Direito Previdenciário > auxílio-doença tempo de afastamento e transtorno bipolar grave
UsuárioDiscussão
Marluce Machado
Postado em quarta-feira, 01 de agosto, 2007
O médico psiquiatra não pode dizer para o perito que uma pessoa deve permanecer afastada do trabalho e o perito não deve acatar esta opinião do médico, uma vez que o trabalho contribuiu efetivamente para que o funcionário entrasse num processo depressivo grave?
Existe um prazo máximo para receber o auxílio doença no caso de transtorno bipolar grave?
O que uma pessoa com transtorno bipolar grave pode fazer quando o psiquiatra deixou para o perito decidir se ela deve ou não voltar ao trabalho apesar de seu estado grave, e da quantidade enorme de medicamentos fortes que a paciente está usando, e o perito mandou então a pessoa voltar a trabalhar e esta não se encontra em condições de voltar?

ÚsuarioResposta
Talita Ferreira
postado em segunda-feira, 05 de abril, 2010
Olá,sofro de transtorno bi-polar e se agravou a pouco tempo e eu só tenho 4 meses de registro na carteira, preciso de quanto tempo para eu aposentar pelo INSS.
Obrigada
NUBIA
postado em quarta-feira, 05 de maio, 2010
ola minha mae tem transtorno afetifo bipolar com depressão grave alucinaçoes delirios peda de menoria e esteve afastada 8 meses mais agora o inss liberou ela mais o medico não a libera ela toma remedios muito forte meu pai procurou um adv. e ja entraram na justiça fd. o adv ja pediu a aposentadoria dela pelo fato de ela não conseguir ficar sem os remedios e voltar ao trab. ela trab. em uma empressa de telemakt gostaria de saber se tem pocibilidade de ela ganhar esta causa e se aposentar ela tem muitos laudos de pisquiatras e picolog...o afasta e cid 10 f31
JOSE ROBERTO DOSSANTOS
postado em segunda-feira, 10 de maio, 2010
BOA TARDE.

SOFRO DE TRANSTORNO BIPOLAR + DEPRESSAO + HIV.
FAZ DOIS ANOS QUE ESTOU NO AUXILO DOENÇA, POSSO PEDIR PARA APOSENTAR.

POR FAVOR ME AJUDE
valfride freitas
postado em terça-feira, 25 de maio, 2010
Boa noite, meu espozo é bipola á 10 anos já te 5 crises, e o inss sempre recuza seus afastamentos, então p/que pagar á previdencia, se não pode ser usada, gostaria de saber se meu espozo, não pode ser apozentado , seu bipolar é nivel 1, ele é ciclador rapido, e parece que cada vez mais as crise tão ficando mais pertas, no inss, não é um medico pisquiatra que atende sempre é medicos de outras especialidades, me ajudem. obrigada val
ademar campos
postado em quarta-feira, 21 de julho, 2010
estou a quase 6 anos na pericia medica. tenho depressão profunda, transtorno bipolar grave ansiedade compulsivam falta de memoria. alem de pressão alta, taquicardia e tremores. uso os seguin tes medicamentos: 3 cebrilin 20, 1 zetron 150, 3 carbolitium 300, 4 amiyril 25, 4 propanolol, 1 rivotril 2 tomo todos diariamente.
Tenh 56 anos, casado, 4 filhos e estou contado da pericia desde abril de 2.010.
o que eu não entendo é que diante de tantos problemas pisicologicos o perito pode sar alta?
junto com o formulario da alta ele também não deveria assinar uma declaração ficando responsavel pelo beneficiario?
aguardo retorno
ademar campos
lazareno rosa de oliveira
postado em sexta-feira, 23 de julho, 2010
A quem interessar possa.
Sofro de bipolaridade e vou completar 67 dia 22 de Novembro,, e ja tenho
tempo para me aposentar, pois ja paguei o suficiente, e gostaria de saber
se essa doenca da direito a aposentadoria por invalidez.
Obrigado desde ja.
Lazareno Rosa de Oliveira
Jaqueline Loiola Cunha Dos Santos
postado em sexta-feira, 17 de setembro, 2010
sou portadora de depressão bipolar ingiro varios medicamentos fortes,tenho crises intensa ,muito tremor visivel que esta chegando a mim incomodar por perguntas de outras pessoas,uso medicação de dia e a noite ,fiquei afastada 1ano e 3meses me deram altar voltei ao trabalho não consegui executar tive que retornar ao INSS me dando apenas 3 meses,sei que estou sem condições de trabalhar e meu psiquiatra não me autorizou mas voltar ao trabalho.tenho apenas 26 anos o que devo fazer para me assegurar ou eles me aposenta ja que não tenho condições de trabalha mesmo ainda jovem.aguardo resposta
lazareno
postado em terça-feira, 21 de setembro, 2010
A quem interessar possa
Sou bipo;ar vou fazer 67 anos de idade e ja paguei o suficiente para me aposentar, e tambem ja
ja tenho tempo de me aposentar mas gostaria de saber se posso me aposentar por invalidez
pois faco tratamento psiquiatrico devido a bipolaridade e o alcoolismo
DESDE JA MUITO OBRIGADO
lAZARENO DE OLIVEIRA
Francisco Franco Junior
postado em domingo, 31 de outubro, 2010
Instituto dos Portadores de Transtorno Bipolar do Brasil
por soespecialistas@hotmail.com » Domingo Out 31, 2010 5:19 pm

Olá, Saudações aos Portadores de Transtorno Bipolar no Brasil.
Sou Advogado militante há 21 anos, tenho 47 anos, em setembro de 2001, quando ocorreu a tragéia das Torres Gêmeas, a notícia me assustou e desencadeou uma série de desiquilibrio, fiquei uma semana em estado de depressivo, sem falar com amigos, beber ou passear, em seguida entrei no estado de euforia queria alugar salas luxuosas para o Escritório e comprar coisas que não tinha condições de pagar, estorei um talão de cheque, e minha esposa vinha atrás desfazendo as besteiras que eu ia fazendo. Por conta própria tomei um remédio controlado fornecido por um amigo, foi o que evitou que eu tivesse um infarte. Com muito custo conseguiram me levar a um médico o qual me encaminhou para um internamento em uma clínica, que com muito custo conseguiram me levar, falaram que eu ia ficar na clinica três dias, e passados os três dias descobri na clinica que ninguém saia dali com menos de um mês, me revoltei com a engação e fugi da clinica, retornando ao meu Estado, tinha ódio mortal pela minha esposa, entendo que ela queria ficar com as minhas coisas. Continuei a tomar os remédios e fiquei melhor. No trabalho fiquei onipotente e briguei com meu chefe e pedi as contas, fiquei pernambulando por diversas lugares, até ultrapassei a fronteira de meu estado, sempre que tinha fome socorria de alguns amigos, emagreci muito quilos, deixei malas em hoteis e fugia sem pagar as contas. Em 2004, tive um surto ainda maior, cheguei a desafiar uns criminosos e traficantes, só não morri porque me tiraram do Estado, fiquei trinta dias escondido nas florestas, conseguiu pegar uma malária, e após muito sofrer voltei para a casa de meus pais, fui trabalhar com meu irmão, a troco do cigaro, da bebida, comida e dormida, onde permaneci por mais 90 dias. Minha família não levava muito a sério minha doença, fezlimente no natal de 2005, minha irmão que mora em outro Estado, veio passar as férias de final de ano e revelou que sofria da mesma doença que eu tinha, dessa forma minha família levou-me ao um neurológista (nesta fase estava na fase do silência, sem comer, sem beber e só fumava), o médico me medicou e no prazo de dez dias já estava comendo e conversando alguma coisa, esta passando a fase do silêncio. Um velho amigo meu que precisa de uma defesa de 15 (quinze) Veredores foi no sítio onde eu estava e me resgatou (minha especialidade é defesa e cassação de mandato político). Fiz a defesa, e como ele gostava muito de mim, me hospedou na casa dele e arrumou um colega para mim trabalhar junto, comecei a melhorar, decorridos quatro meses peguei uma causa para cassar um prefeito e sete vereadores no Mato Grosso, na cidade mais perigosa do Brasil, ainda sob o estado eufórico e onipotente não recusei a causa, peguei um avião e partir para a morte. Devido a bagunça do processo comecei a beber alguma coisa, e quando o remédio acabou comecei a ter crise novamente, a sorte que meu cliente era médico e percebeu algo estranho em meu comportamento, em uma convesa reservada eu contei parte de minha história, ele mandou eu voltar a tomar Carbolitium e começaram a cuidar de mim, inclusive impediram que se tomasse bebida alcoólica na Chacará onde estavamos. No decorrer do processo que duraram seis meses, sempre no estado eufólico, finalmente após a cassação assumimos a Prefeitura, e durante o período instave fiquei 45 dias e 45 noites totalmente sem dormi, acredito que esse tenha sido um dos episódios mais longos de minnha doença, finamente em janeiro me levaram para um psiquiatra que passou alguns medicamentos, que me colocou no outro estágio (silêncio novamente), aceita tudo e a todos sem questionar ou falar nada. Finalmente por volta de novembro pego uma defesa de uns SEM TERRAS, mais de quatrocentas famílias, durante os trabalhos voltei a fumar e a beber, e a doença se agravou, novamente eufólico e onipotente, tanto fiz que minha casa e meu carro foram metralhados, tive que deixar aquela cidade e Estado, pois tinha muito ameças de morte, me sentia ameaçãdo até pelo Poder Judiciário, dizem que fiz ameças ao Juiz daquela cidade, bem como fui suspeito de ter atirado na casa da Escrivâ, mas não tinha nada a ver com a tentiva de morte. De volta para meu Estado entrei novamente na fase depressiva silenciosa, novamente meu amigo me socorreu, montou um escritório para nós trabalharmos, peguei uma causa defendendo seiscentas famílias, enfrentei a Polícia Federal e Polícia Militar, não me prenderam porque a população não deixou, foi um caso muito divulgado na Mídia, envolveu o MINC - Ministério do Meio Ambiente, saimos vitoriosos, comecei novamente a tomar os remédios e continuei a trabalhar. Interessente que quando a doença começa a se manifestar a gente relaxa com a medicação, foi o que aconteceu comigo, desta vez fiquei eufórico, onipotente e perigoso, tive crises fortissimas, minha pressão subiu, e comia muito doce e suco, onde se iniciou o estado de diabete. Minha pressão chegou a 24, e fora do controle os médicos não queriam me internar, finalmente um médico que me conhecia a vinte anos, pediu para um hospital me internar, eu não queria ficar internado, e os hospitais não queriam internar, meus familiares e amigos não sabiam o que fazer, nessa aventura perigosa passei quarenta dias, não perdi meu emprego porque meu patrão gostava muito de mim. Hoje dou Assessoria Jurídica a uma Prefeitura e uma Câmara Municipal, além de outros serviços particulares, mas vivo um estado emocional triste, pois há qualquer momento sei que pode desencadear nova crise, na última crise alguns médicos apostaram que eu não voltaria mais, que ia ficar naquele estado o resto da vida, agora sinto que estou um pouco agitado e fico com medo, estou tomando todos os remédios receitados, mas com muito medo.

Pesquise na internet quanto a APOSENTADORIA, e vejo que é muito difícil, acho que tem que haver uma mudança na legislação do INSS, e para isso temos que unir todos os Portadores de Transtornos Bipolares do Brasil e Familiares, estes os que mais sofrem, porque o doente não sabe o que faz e tudo está bom. Dentre todos os Estados da doença prefiro o Estado da Depressão, nesse Estado a gente fica silencioso, triste, amargurado mas não causa danos ou sai comprando o que não pode pagar.

Estou convocando todos os Portadores de Transtornos Bipolares do Brasil, Familiares e Amigos para se unirem a nós, acessando através do e-mail soespecialistas@hotmail.com, se nã quiser se identifcar use qualquer pseudônimo, precisamos resgatar nossa credibilidade, diminuir a discriminação e rejeição, principalmente no campo profissional.

Qualquer um pode me adicionar: soespecialistas@hotmail.com

Saudações da Paz do Senhor

Equipe soespecialistas@hotmail


"OBSERVAÇÃO: Sou da Amazônia
sandra valeria vargas
postado em sábado, 13 de novembro, 2010
Ola descobri que tenho bipolar com cid 31.2 e sofro muito com ela tenho desconfianças que as pessoas estao armando contra mim sofro perseguiçao em de minha bipolaridade e alem disso tenho uma filha autista atualmente estou trabalhando para ajudar na renda de minha casa meu marido me ajuda muito e muito companheiro meu e de meus filhos gostaria de saber se poço entrar com um processo de ajuda social para mim o que fazer ? espero resposta o mais breve para me orientar melhor.
1234567