Enviar Mensagem




Forum > Direito Previdenciário > Aposentadoria por invalidez-baseado na lei 8.213
UsuárioDiscussão
Antonio Marques da Silva
Postado em quarta-feira, 18 de abril, 2007
Estou em pleno gozo de auxílio-acidente(LER/DORT),sou bancário e há 07 anos estou afastado da atividades por incapacidade laboral,desde julho/1999 e a cada 3 meses era submetido a uma perícia médica e na última me concederam uma licença de 02 anos consecutivos,e terceiros me informaram que após uma licença de 2 anos sem alta médica,a lei 8213/2006(artigo.?) me daria o direito de me aposentar. Sei que a lei existe mas não sei qual o artigo,e o qual é o conteúdo da redação.preciso de ajuda,pois a licença vencerá em setembro /2007 e necessito de orientação e um embasamento juridico para enfrentar a burocracia,e o descaso junto ao INSS.

ÚsuarioResposta
ANTONIO CARLOS RIBEIRO
postado em segunda-feira, 03 de novembro, 2008
QUERIA SABER MAIS SOBRE APONSENTADORIA DA LER.
Maria da Conceição Ferraz Mascarenhas
postado em segunda-feira, 02 de fevereiro, 2009
CONTRIBUIR COM O INSS PERÍODO DE 08/80 A 01/2003 , QUANDO FUI DEMITIDA. DEPOIS DE MARÇO A SET/2003. EM SETEMBRO/2003 ME AFASTEI PELO INSS DEVIDO PROBLEMAS DE SAÚDE CÓDIGO 91. SEMPRE FUI BANCÁRIA E ESTOU COM PROBLEMAS GRAVES NA CERVICAL, OMBRO, BRAÇO, COTOVELO. O MEU BENEFICIO FOI CONCEDIDO ATÉ 28/02/09, APOS 2 ANOS, FOI CONCEDIDO MAIS 8 MESES QUE VENCE AGORA EM FEV/2009, IREI PEDIR PP.. SE O MEU BENEFICIO FOR SUSPENSO, COMO NÃO TENHO CONDIÇÕES DE VOLTAR AO MERCADO DE TRABALHO . PERGUNTO:
ESTE TEMPO QUE FIQUEI AFASTADA MESMO SENDO DEMITIDA CONTA COMO TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO?
POSSO CONTINUAR CONTRIBUINDO, PARA COMPLETAR MEUS 30 ANOS DE SERVIÇO E ME APOSENTAR, POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO.
TENHO CHANCE DE ENTRAR COM UMA AÇÃO CONTA O INSS, PARA ME APOSENTAR POR INVALIDEZ?
COMO FAREI ISSO?
Mabel Hannah da Rocha
postado em segunda-feira, 02 de fevereiro, 2009
Estou com uma ação de indenização por danos morais/e ou material. A autora é funcionária do INSS em desvio de vinção, estava de licença médica por depressão por um ano e oito meses de licenças periciais e sua alta após um ano e oito meses constava "alta por periodo temporário" porém sem prazo para nova perícia. No dia seguinte a esta alta a autora assinou o Plano de Dispensa Vluntátia-PDV, no qual se arrependeu. O inss alega que a "alta temporária" é a mesma "alta definitiva" . Entendo que uma vez que a autora estácom alta temporária sua é necessário uma nova perícia para liberaçã definitiva da autora e que sendo a alta temporária siguinifica que o INSS não tinha certeza da sua capacidde para retornar ao trabalho. Logo não poderiam deixá-la assinar o PDV sem antes liberá-la definitivamente. O psiquiátra e períto do inss que a periciou foi testemunha do Réu (INSS) que alegou não saber que ela estava em desvio de função, não sabia onde ela trabalhava, não sabia absulotamente nada de sua vida familiar, social e laboral, principalmente que ela estava tendo problemas no serviço e, no entanto, a liberou dizendo que se passava de uma leve depressão e que o retorno ao trabalho faria bem a ela. Como ele chegou a esse diagnóstico sem saber absolutamente nada da periciada? Quando questionei a "alta temporária" no proprio significado da palavra com relação a "alta definitiva" ele alegou que é assim que o INSS chama de alta definitiva. Creio que os grande escritores de dicuionários reviraram em suas covas neste momento.Dizer que temporário é definitivo é assustador. Mais terrível o magistrado aceitar uma resposta tão absurda como essa. O processo se encontra paralizado no TRF desde 14/08/2007.

Cordialmente

Mabel Hannah da Rocha
angela
postado em terça-feira, 17 de março, 2009
estou com um problema de desgaste da cartilagem do joelho esquerdo nao tem cura e trabalho subuindo e descendo escadas e fazendo serviço de rua e bancario,gostaria de saber se tenho o direito de me encostar pelo INSS?

aguardo um resposta.
Flávia
postado em segunda-feira, 13 de abril, 2009
Tenho 7 anos de contribuição junto ao INSS, há dois anos venho sentido dores lombares. Obtive 8 dias de licença médica para fazer fisioterapia, mas agora estou novamente sentido os mesmo sintomas, não consigo ficar muito tempo sentada, chegou ao ponto que sentada incomoda em pé e deitada. Tenho escoliose, lordose e luxação congênita dos quadris. Será que o meu caso tem direito ao benéfico ou aposentadoria? Como proceder? Aguardo respostas, agradecida!

Angela maria menezes da silva
postado em segunda-feira, 20 de julho, 2009
Meu nome e Angela tenho 42 anos tenho lupos erecmatoso e a alguns meses descobri que tenho efisema pulmonar lombar se eu tiver contribuindo com o inss tenho chance de me aposentar
Amalia Ferreira
postado em terça-feira, 21 de julho, 2009
Sou bancaria ha 21 anos e tenho uma acao de reestabelecimento previdenciario e aposentadoria por invalidez tramitando desde abril de 2006. por motivo de doenca profissional. Essa acao ja teve a competencia declinada duas vezes. Primeiro da Federal para a Estadual e agora para uma Vara Civel. Nesse vai e vem ja se passaram 3 anos e estou sem nenhum provento. Meu contrato de trabalho esta suspenso, sem remuneracao, acerto ou qualquer outro provento. Passo por muitas dificuldades. Foi pedida a tutela antecipada, mas foi negada. Gostaria de saber qual o tempo razoavel de duracao para uma acao como essa e se ela ainda pode perdurar por muito tempo.Fiz uma pericia judicial em novembro de 2008. Por favor me orientem. Gostaria muito de uma opiniao imparcial. Obrigada!
Amalia Ferreira
postado em terça-feira, 21 de julho, 2009
Sou bancaria ha 21 anos e tenho uma acao de reestabelecimento previdenciario e aposentadoria por invalidez tramitando desde abril de 2006. por motivo de doenca profissional. Essa acao ja teve a competencia declinada duas vezes. Primeiro da Federal para a Estadual e agora para uma Vara Civel. Nesse vai e vem ja se passaram 3 anos e estou sem nenhum provento. Meu contrato de trabalho esta suspenso, sem remuneracao, acerto ou qualquer outro provento. Passo por muitas dificuldades. Foi pedida a tutela antecipada, mas foi negada. Gostaria de saber qual o tempo razoavel de duracao para uma acao como essa e se ela ainda pode perdurar por muito tempo.Fiz uma pericia judicial em novembro de 2008. Por favor me orientem. Gostaria muito de uma opiniao imparcial. Obrigada!
MARCO VINICIUS GARCIA DE CARVALHO
postado em sexta-feira, 28 de agosto, 2009
ESTOU APOSENTADO POR INVALIDEZ PREVIDENCIARIA DESDE AGOSTO DE 2003, A FIRMA ONDE TRABALHEI ALEGA QUE SEGUINDO O ARTIGO 475 DA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA NÃ PODE FAZER O MEU ACERTO E DAR BAIXA EM MINHA CARTEIRA.
GOSTARIA DE SABER SE ESTE ARGUMENTO PROCEDE OU SE ESTARIAM USANDO ESTE MESMO ARGUMENTO PARA NÃO FAZEREM O MEUACERTO.

DESDE JÁ DEIXO AQUI MEUS AGRADECIMENTOS.

ATENCIOSAMENTE,

MARCO VINCIUS
Eduardo Altobello
postado em sexta-feira, 25 de setembro, 2009
Tenho diabete tipo 1 a 28 anos; me causando a anos neuropatia grave nos 4 membros. Ñão consigo mais exercer minha profissão de Tecnico em Eletronica. Necessito com urgência me aposentar. Tentei a 18 meses no INSS com os laudos de exames e não cosegui. Pergunto: Um laudo de um Neurologista + exames pedindo o beneficio me assegura imediatamente o benefício por ser algo degenerativo (sem retorno) ou eles podem protelar a aposentadoria? É melhor usar um advogado? Contribuo com o INSS a 34 anos tenho 52 anos de idade.
No Aguardo
Atenciosamente
12345